CONTEÚDO 20ª SQ
SExta-FEIRA: 13/08/2021

  • Tour virtual - anton paar: 08h30-10h

Tour Virtual - Anton Paar

Anton Paar desenvolve, produz e distribui instrumentos de laboratório e sistemas de medição de processo altamente precisos, assim como soluções de automação e robótica personalizados para todo o mundo. Essa é a primeira coisa que você deve saber.

Responsável: Marjorie Mendonça

Especialista de produto em equipamentos de Química Analítica e Sintética, incluindo Micro-ondas para Síntese e preparo de amostras, assim como a Tecnologia Raman. Bacharel em Química pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e se juntou a Anton Paar Brasil em 2019. Tem como foco de atuação diversos setores industriais (farmacêutico, alimentício, petroquímicos, químico, etc...) e acadêmicos.

Marjorie Mendonça.jpg
  • Tour virtual - merck: 10h30-12h

Tour Virtual - Merck

Há 350 anos, a curiosidade tem nos movido a prover excelência aos pacientes e aos nosso clientes, assim como a imaginar e moldar o futuro. Somos uma equipe vibrante, com cerca de 58 mil funcionários em 66 países, contando com especialistas em Healthcare, Life Science e Eletronics, que compartilham a paixão por ciência e tecnologia. No Brasil, fazemos a diferença há mais de 95 anos, contando com instalações fabris na cidade do Rio de Janeiro - que abriga nossa unidade de produção farmacêutica e química, além de escritórios administrativos e unidades de negócios nas cidades paulistas de São Paulo, Barueri e Cotia.

Responsável: Alexandre Rosolia

Especialista Sênior do M Lab Brasil Collaboration Center e responsável pela área de aplicações e prestação de serviços analíticos. Químico Industrial formado na Faculdade Oswaldo Cruz, com especialização em cromatografia e técnicas relacionadas.

  • mesa redonda: 13h-15h

"Consequências e Origens do Negacionismo Científico"

O negacionismo científico sempre esteve presente no dia-a-dia de formas muito sutis, por exemplo, em ocasiões em que médicos indicam medicamentos homeopáticos para os seus pacientes negligenciando evidências científicas sobre a sua não eficácia e, mais ainda, negligenciando a responsabilidade que possuem como médicos. Durante a pandemia que se alastrou pelo mundo do Sars-Cov-2, o Brasil presenciou uma onda de negacionismo científico, baseada em medicamentos cuja eficácia contra o vírus já foi desmistificada, mas que são amplamente divulgados e recomendados para consumo sem qualquer cuidado quanto aos efeitos colaterais. Sendo assim, trouxemos para falar do assunto a médica e coordenadora do CECOM Patrícia A. Falabella Leme, que vive diariamente as consequências do negacionismo científico em seus pacientes. O Docente do Instituto de Química professor Luiz Carlos Dias, membro da força tarefa do combate ao COVID-19 da UNICAMP e a eleita quarta maior influenciadora científica digital no Brasil pela Science Pulse, Mellanie Fontes-Dutra, biomédica e Doutora em neurociências, para trazer um pouco da visão deles sobre o assunto.

Participantes

Patrícia A. Falabella Leme

Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal de Pernambuco com residência Médica em Cardiologia e Mestrado em Gestão de Saúde Pública na UNICAMP. Possui experiência em gestão pública e foi coordenadora de 2 instituições, Centro de Saúde da Comunidade da UNICAMP e Ambulatório Médico de Especialidades em Rio Claro. Tem experiência na área de urgências médicas tendo atuado por 10 anos no Pronto-Socorro do HC-UNICAMP e na indústria farmacêutica por 4 anos na EMS. Atualmente atua como assessora de gabinete da Coordenadoria Geral da Universidade (CGU).

Mellanie Fontes-Dutra

Possui graduação em Biomedicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Mestrado e Doutorado em Neurociências na mesma instituição, onde atualmente realiza atividades de pesquisa no pós-doutorado em Bioquímica. É divulgadora científica atuando na Rede Análise COVID-19, equipe Halo da ONU, grupo InfoVid, Todos Pelas Vacinas e União Pró-Vacina.

Luiz Carlos Dias

Possui graduação em Química pela Universidade Federal de Santa Catarina, Doutorado em Ciências Químicas pela UNICAMP e pós-Doutorado em Harvard. É Professor Titular do Instituto de Química da UNICAMP atuando no desenvolvimento de fármacos para o tratamento de doenças parasitárias tropicais. Possui 116 publicações, ministrou 225 conferências no país e no exterior, além de cerca de 400 entrevistas para jornais/revistas/rádio/TV e participações em mesas-redondas. É Pesquisador 1A do CNPq, membro Titular da Academia Brasileira de Ciências, Comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico, membro Titular da Academia de Ciências do Estado de São Paulo, membro da força tarefa da Unicamp no combate à COVID-19 e foi condecorado com vários prêmios.

IMG_3598_Facetune_04-11-2020-22-18-36.jpg
Luiz Carlos Dias.png
  • palestra: 15h30-17h30

"A Química Medicinal e a Inovação em Fármacos"

A Química Medicinal é a disciplina central para a descoberta de novos fármacos. Quando associada à Farmacologia o dueto essencial à inovação farmacêutica está formado. Diversas outras ferramentas são também uteis a essa associação estratégica e se originam nas Ciências Biológicas, da Saúde, Computacional, entre outras. No contexto da inovação radical em fármacos, podemos reconhecer na Química Medicinal o principal elo entre a Química e a Biologia, capaz de viabilizar a descoberta de novos fármacos, com propriedades em promoverem, manterem ou corrigirem o estado de Saúde das pessoas. Neste sentido, pode-se afirmar que a Química Medicinal é uma disciplina translacional para a inovação terapêutica. Nesta ótica se situará nossa apresentação, iniciando-se com fatos históricos dos primórdios da Química Medicinal; definição das principais estratégias da Química Medicinal para o desenho de novas moléculas originais de interesse terapêutico; exemplos de sucesso recentes, inclusive do Laboratório de Avaliação e Síntese de Substâncias Bioativas (LASSBio) da Universidade Federal do Rio de Janeiro, criado em 1994.

Palestrante: Eliezer J Barreiro

Eliezer J. Barreiro, é farmacêutico pela Universidade do Rio de Janeiro (UFRJ). Mestre em Ciências em Química dos Produtos Naturais também pela UFRJ, Doutor de estado em Química Medicinal pela Université Scientifique et Médicale de Grenoble (atual Université de Grenoble Alpes) na França. É autor de 13 capítulos de livros sobre Química Medicinal e autor de 5 livros publicados sobre Química Medicinal e de mais de 330 artigos científicos publicados em periódicos internacionais. Atualmente é professor titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro no Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Oficial Grã Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico da Presidência da República do Brasil (2010). Membro associado estrangeiro da Real Academia de Farmácia de Castilla y Leon da Espanha (2013). Membro Titular da Academia Brasileira de Ciências, desde 2001. Foi editor da Revista Virtual de Química (SBQ). É atualmente membro do Corpo Editorial do Drug Discovery Today: Technologies (Elsevier).  É fundador e Coordenador Científico do Laboratório de Avaliação e Síntese de Substâncias Bioativas (LASSBio) da UFRJ. Editor do Portal dos Fármacos, de popularização das Ciências dos Fármacos e Medicamentos. É membro do Sub-Committee de Drug Discovery & Development da IUPAC (2010) e Coordenador Científico do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Fármacos e Medicamentos (INCT-INOFAR).

  • minicurso: 18h30-20h30

"Origin e Excel para Químicos de todas as áreas"

Os softwares Excel e Origin fazem parte da rotina de muitos químicos e estudantes de química para cálculos, análise de dados e construção de gráficos. Discutiremos ferramentas mais importantes de importação e de análise de dados intrínsecas dos dois softwares. Para o Origin, também serão abordados os aspectos visuais de gráficos (formato, escala, legenda, grade, cores, deslocamento, etc.).

Palestrante: Heloisa Moretti

   Técnica e bacharela em química, em breve também doutora pela UNICAMP. Durante a pandemia, abri o instagram @comoformataisso onde postei dicas de formatação de monografia, entre outras dicas.

PSX_20210502_185648.jpg
  • minicurso: 21h-22h30

"Primeiros passos no processamento de espectros de RMN"

A Ressonância Magnética Nuclear (RMN), para amostras em solução, é indiscutivelmente a espectroscopia não destrutiva mais importante na determinação estrutural de compostos provenientes de reações químicas e/ou de fonte naturais. Entretanto, para que a RMN forneça informações acuradas, é indispensável que três etapas essenciais sejam bem executadas, sendo elas: a preparação da amostra, os ajustes dos parâmetros de aquisição do “Free Induction Decay” (FID) e o processamento do FID para fornecer os espectros no domínio da frequência que serão utilizados na determinação estrutural. Qualquer problema em uma dessas etapas levará a determinações estruturais imprecisas. O objetivo desse minicurso é, portanto, conhecer e aprimorar a utilização do software TopSpin, da Bruker, disponível nos equipamentos de RMN e de acesso livre para a comunidade acadêmica, para aquisição e processamento dos espectros. Serão abordados os principais parâmetros utilizados no processamento do FID e como esses parâmetros alteram a qualidade e as informações obtidos nos espectros. Será apresentado também como gerar arquivos de imagem dos espectros para serem utilizados em relatórios, TCC, dissertações, teses e artigos científicos.

Palestrante: Cláudio Franscisco Tormena

Cláudio Francisco Tormena, possui bacharel em Química pela Universidade Estadual de Maringá (1995) no Paraná. É Doutor em ciências pela Universidade Estadual de Campinas (2000), tendo realizado um estágio sanduiche de 1998 a 1999 na Universidade de Liverpool na Inglaterra. Realizou um estágio de pós-doutorado no Instituto de Química da Unicamp de abril de 2000 a julho de 2003.

Atualmente é docente do curso de Química da UNICAMP, diretor associado do Instituto de Química, membro do Advisory Board do Magnetic Resonance in Chemistry, presidente da Associação dos Usuários de RMN (AUREMN) e membro titular da Academia de Ciência do Estado de São Paulo. Sua área de pesquisa é focada na espectroscopia de ressonância magnética nuclear e seus interesses são no estudo experimental e teórico de deslocamentos químicos e constantes de acoplamento escalar, avaliação de acoplamentos escalares heteronucleares como fonte de informação na determinação da estereoquímica relativa e preferências conformacionais de compostos orgânico e no desenvolvimento de novas sequências de pulsos e suas aplicações na determinação estrutural de compostos em mistura.

foto-3.png